PALAVRAS AO VENTO


/

Meu dia.

 

 Minha idade.

Na balança do tempo, mais ganhos do que perdas.

Eterna aprendiz, apaixonada pela vida, persistente nos ideais.

Amigos vieram, alguns se perderam no meio do caminho, mas sempre presentes na memória.

Agora mais um caminho a seguir, fiz minha escolha, me joguei nas mãos do destino, que ele seja generoso com meu futuro.

Que eu tenha saúde, que eu só semeie e colha amor.

Não reclamarei de ter dinheiro e sucesso profissional.

Que eu apenas seja feliz!

 



Escrito por Kyra às 20h39
[ ] [ envie esta mensagem ]


Será que é possível se cometer um erro e ainda assim estar certo?

Talvez não importe muito o que se faz e sim como se faz as coisas.

Hoje vi uma cena que considero insólita e cruel, e eu assim como várias pessoas fomos chamadas apenas para assistir a queda de uma pessoa.

E ficamos lá chocados sem conseguir emitir um som, foi tudo rápido e eu não entendo até agora o que aconteceu.

Fico surpresa em ver que as pessoas não se contentam apenas em estar por cima de uma determinada situação, elas precisam destruir tudo para ter a sensação de que conseguiram o que queriam.

Não havia razão para nenhuma das partes, mas não entendo esta falta de consideração com uma pessoa que esteja no lado fraco.

É muito fácil esquecer o que uma pessoa fez de bom e só ficar com o lado mal desta pessoa, parece muito injusto, que todo um trabalho seja ignorado, como se nunca tive acontecido.

O lado forte deveria ter sido ao menos misericordioso, a grande ironia é que isso já aconteceu com o lado fraco, quando ele era forte. Por isso digo que ninguém tem a razão.

Existem maneiras certas sim de se fazer qualquer coisa, a maneira como se faz, por mais cruel que a verdade pareça, diz muito a respeito das pessoas.

Porque é mais fácil ter a atitude errada, quando se pode fazer o certo?

Porque somos tão escravos de nossos pecados? Digo escravos, porque todos temos defeitos e temos que conviver com eles, mas deixá-los tomar conta de nossa alma?

Sinto calafrios só de pensar nisso, dizem que a soma de nossos defeitos e qualidades, nos torna mais fortes e melhores. Porque dependendo da situação nossos defeitos se transformam em qualidade. Mas também acredito que não é a razão que nos avisa quando erramos e sim nosso coração.

Sempre sabemos quando erramos por maldade e o gostinho que seria de vitória, vai se transformando em fel que nos corroí por dentro. E isto deve gerar uma infelicidade danada.

Hoje farei uma prece, para que as feridas cicatrizem, que as fontes de fel que insistimos em manter sequem. E que possamos todos ser mais dignos e nos preocupemos menos com coisas que não levam a lugar algum e trazem tanta infelicidade.

" Não existe Santo sem passado e Pecador que não tenha futuro"

 



Escrito por Kyra às 01h18
[ ] [ envie esta mensagem ]


Fale sobre você:

Perdi amigos para a morte e também para os mal-entendidos; e ganhei experiência no meio do caminho. Cai de amores pela música e sou filha bastarda da literatura, posto que escrevo devido a espasmos emocionais e urgência em compreender o que, talvez, continuará eternamente incompreendido. Não sou culta. Não sou ilustre. Não sou intelectual. Sou um fragmento de quem sonhei ser um dia, mas me surpreendi ao me dar conta de que isso não é pouco. Porque sou pessoa como todas as outras. Temo. Desisto. Recomeço. Alimento-me do tempo que, em contrapartida, pede para ser o mestre das minhas transformações.

Almofadas, edredom, pipoca doce, cinema. Tirar os sapatos, séries de televisão, vinho, andar pelas ruas da cidade em dia de feriado. Sebos de livros e discos, música para chorar. Música para dançar. Música para amar. Música para relembrar: música. Tambores. O olhar danado de uma criança pronta para cometer uma traquinagem. Poesia. Beijo de boa noite da mãe. Banho de cachoeira. Beijo do amante. Montanhas. Lua. Céu. Avenida Paulista. Parque do Pedroso. Brasil. São tantas coisas das quais gostar que, às vezes, eu me afasto para observar de longe e resgatar a simplicidade do que realmente importa.

Não abro mão do respeito. Não temo a casa vazia. Temo a alma vazia. Amei platonicamente na primeira vez. Tentei amar apaixonadamente na segunda. Mas verdadeira e intensamente eu amei foi na terceira vez. Hoje, estou à espera de quem queira me amar, só pra variar.

Carla Dias



Escrito por Kyra às 23h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

 
Meu perfil


BRASIL, Sudeste, Mulher, de 36 a 45 anos



Meu humor



Histórico
01/08/2007 a 31/08/2007
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004




Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Correndo atrás do vento...
 Loba, corpus et anima
 Retalhos e Pensamentos II
 Mulher de 30 e poucos...
 Mina do Kurt
 Depois dos vinte...
 Notas de um velho safado
 Pretensos Colóquios, por Dora Vilela
 Nanda
 Cantinho da Felicidade
 Antropofago Urbano
 TONY MACLAUD - O BOM CEARENSE
 Colcha de Retalhos
 Digressiva Maria
 Coisas de tio
 Botequim Poético
 Domínio Público
 Noites em Claro
 Fala Poética
 Sombras e Sonhos
 As Cartas de Elise
 Retalhos e Pensamentos
 Mudança de Ventos
 Verso Encadeado
 Segredos nada Secretos
 Big Friend
 Poesia & Cia
 TrumanBlog - Eterna Sinfonia da Vida Inacabada...
 Escondidas na Net
 Há vida depois dos 40
 A Idade da Loba
 O meu caminhar
 Procuro-me
 Ponto Gê
 Voz Activa
 Viagens da Alma
 Letras Diversas
 Figuras Hilárias
 Mar da Poesia
 No Olho do Furacão
 PsycoBlog
 Nonato Reis
 Essência Feminina
 Meu Porto
 Duas Palavras
 A Plataforma desta Estação ...
 Circulo Vicioso
 Cherry
 Espelho da Alma
 Lendo e Sonhando
 Molecca - Amor do Pietro
 Nano Costa
 Pra você que gosta de poesia
 Observações