PALAVRAS AO VENTO


O que é lutar pelo amor de alguém?

Sempre vejo as pessoas falando ou escrevendo isso, nunca me causa uma boa impressão.

Se você gosta de alguém e a pessoa não te dá valor, o que você pode fazer além de ser você mesma. Não dá para obrigar ninguém a gostar de você.

Ele dizer que está dividido, você entrar numa competição, dizendo que ela não presta e só ele não vê. Vontade até que dá. Mas e depois você consegue ficar bem com você mesma por ter feito isso?

Fidelidade não se exige, é um compromisso que deve ser assumido com você mesmo. É saber exatamente o valor que uma pessoa ou relacionamento tem para você. Se acabou, liberte o outro. Todos tem o direito de procurar a sua felicidade e não é com mentiras que se é feliz.

A palavra lutar já pressupõe uma guerra, onde alguém sempre sairá ferido da pior maneira, não creio que combine com o amor.

As pessoas são contra seu relacionamento, não é luta. É afirmação do sentimento, um dia as pessoas se conformam ou o sentimento muda.

Você ficar ao lado de uma pessoa que ama, quando ela ou vocês tem problema. É firmeza, disposição.

Quando a pessoa que você ama está frágil, é emprestar um pouco da sua força para o outro.

É mostrar respeito pelas diferenças, ceder espaço ao outro, é dividir e compartilhar.

Não sei, existem exemplos aos montes, mas nenhum deles você mostra com palavras e sim com atitudes.

A paixão é um sentimento rico em palavras, que normalmente não se sustentam numa situação real.

O amor é mais modesto, só fica lá esperando que você se abrigue em sua fortaleza, o amor reconhece os defeitos do objeto amado e nem por isso o amor diminui. Ninguém ama pela metade.

 


Hummm acho que estou meio confusa hoje...rs

 



Escrito por Kyra às 18h48
[ ] [ envie esta mensagem ]


Não te quero mais, vá embora.

Encontre outra morada, este coração não mais te pertence.

Ele foi teu palácio por muito tempo, agora você foi despejado.

Você está me testando, não vai dar certo desta vez.

Não abrirei esta porta para você.

Onde tudo eram flores, você semeou tristeza.

Onde tinha luz, você trouxe a escuridão.

Nossas músicas sempre falaram de adeus

Agora quero músicas que falem de amor.

Não adianta bater, não vou abrir.



Escrito por Kyra às 00h20
[ ] [ envie esta mensagem ]


Era uma noite de verão, o céu estrelado e os dois caminhavam pela rua.

Ela estava num momento difícil da adolescência, tinha 16 anos. O pai pegando no pé dela, ela reclamando da vida e ele só ouvindo, com aquele jeito calmo que era só dele.

Sem muita consciência de como o assunto mudou, ela só pensava que gostaria que ele a abraçasse e desse um daqueles beijos de cinema. Sentiu um calor gostoso se espalhando pelo corpo, noite de lua cheia, céu estrelado.

Como se lesse o seus pensamentos ele de repente para de andar, olha bem sério para ela e pega na sua cintura e a puxa para si.

Ela ficou exultante, era tudo que queria. Ele sem dizer uma palavra, aproxima o seus lábios do dela, ela fecha os olhos antecipando o beijo.

Os lábios finalmente se encontram para o tão sonhado beijo. Ela esperando que o beijo se aprofundasse e de repente percebeu que ele apenas movia os lábios nos dela.

Apesar de ser alguns meses mais velho que ela, ele não sabia beijar.

Ali nos braços dele parecia tão perfeito, mas o beijo perfeito não foi tão perfeito assim.

Ela nada disse, deixou-se ficar ali, sentindo o abraço e o lábios dele.

Quando se afastaram, ela viu o brilho nos olhos dele e foi mais que perfeito.

Haveriam outros dias para ensinar outras formas de beijar.



Escrito por Kyra às 17h07
[ ] [ envie esta mensagem ]


Sabe que eu te quero, então vem pra mim.

Vem que eu te quero inteiro.

Vou te seduzir com meus olhares.

Vou te derreter com meus beijos.

Vou te incendiar com minhas mãos.

Vou te prender entre as minhas pernas.

Vou te fazer meu.

Sei que você me quer.

Vem me mostrar o seu olhar desejo.

Vem me fazer gemer de prazer.

Vem me mostrar o que sua boca sabe fazer.

Vem descobrir o centro do meu prazer.

Vem que eu sou tua.

 



Escrito por Kyra às 18h55
[ ] [ envie esta mensagem ]


Ela está perdida no meio da névoa, tudo está cinza e silencioso a sua volta..

Sabe que precisa continuar andando apesar do cansaço que todo aquele cinza provoca.

As vezes ela percebe um facho de luz, então ela se ilumina, se sente forte, anda mais rápido parece saber onde aquela luz vai terminar ou começar.

Mas de novo se perde no meio da névoa, vem o medo, não tem nenhuma mão amiga ou amorosa para segurar.

Tudo é silêncio no meio do cinza, é um silêncio pesado, parece gritar muito alto dentro dela este cinza, ela quer gritar mas não consegue. Ninguém sabe que ela está perdida no meio da névoa cinza.

Ela precisa da luz, mas parece ter perdido o mapa para encontrar a luz e sair do cinza.

Cai de joelhos, completamente exausta, lágrimas silenciosas rolam pelo rosto pálido de descrença e tristeza por não conseguir enxergar a luz.

Em meio as lágrimas vislumbra um fio muito fino de luz, sabe que precisa levantar e continuar andado, ela não pode desistir.

Decide continuar, o cinza não pode vencer, levanta-se e continua andando. A luz é tudo que ela precisa.

O que é o cinza?

O cinza é o nada que insiste em tomar conta do coração, é o vazio que toma o lugar de todas as palavras e emoções que querem sair.

A luz é a vida que chama para o amor ou o amor é que chama para a vida?



Escrito por Kyra às 18h47
[ ] [ envie esta mensagem ]


"Respeito muito minhas lágrimas, mas ainda mais minha risada. Inscrevo assim minhas palavras, na voz de uma mulher sagrada" (Caetano Veloso)

 

Descobri que sou muitas mulheres.

Todas absolutamente verdadeiras, todas querem ser felizes e são absolutamente sinceras, é o que elas tem em comum.

Sou gelo, sou fogo, alegria, tristeza, bondade, maldade, desejo.

As vezes poesia e outras vezes pura monotonia.

Algumas vezes me tranco e minhas portas precisam ser arrombadas.

De repente me abro e descubro mais uma porta para um mundo cheio de aventuras e luzes.

Me permito sentir tristeza, sendo certo ou errado, afinal sei que será apenas por alguns momentos e quando a coloco para fora ela perde a sua força.

A alegria permito que venha por inteiro, escancaro esta porta e deixo pulsar esta emoção em mim, até que ela toque as pessoas ao meu redor.

Sou muitas, mas sou inteira.

Tudo depende de com que olhos você me vê.



Escrito por Kyra às 14h40
[ ] [ envie esta mensagem ]


Hoje sou só saudade.

Como uma viciada eu quero você, mas como querer algo que também faz mal.

Mas eu estou aqui com esta saudade absurda, querendo nem que seja sua voz.

Porque minha alma está tão ligada a você?

Porque tenho que sentir esta agonia?

Quero ouvir sua voz me amando.

Quero esquecer de mim e ser só sensação.

Quero ouvir sua risada, ouvir sua voz rouca de prazer.

Quero te amar, quero brigar.

Mas quero você.



Escrito por Kyra às 00h31
[ ] [ envie esta mensagem ]


Estou sendo possuída pelas palavras.

Elas jorram de uma fonte subterrânea

A grande surpresa é que esta fonte está dentro de mim.

Eu não tinha consciência da existência desta fonte, ainda não sei direito como fazer esta fonte jorrar continuamente.

As palavras surgem em momentos absurdos, estou trabalhando e vem aquela vontade de escrever, e as palavras simplesmente aparecem plenas de sentido.

Existe uma pessoa que é a maior responsável pela descoberta desta fonte, é ela a Loba Mulher que está correndo atrás do vento.

Existem os novos amigos, que sempre tem uma palavra de incentivo, emitem opinião, concordam, discordam, mas sempre com respeito e carinho.

Meu agradecimento a todos vocês, que me fizeram descobrir um novo mundo, rico em emoções e pela troca de energia de todos os dias.

beijos



Escrito por Kyra às 00h07
[ ] [ envie esta mensagem ]


Se eu fosse tua, o que você faria?

Se mergulhasse em minhas águas aparentemente tranquilas e fosse tragado pelos meus redemoinhos, o que você faria?

Você traria paz para os redemoinhos ou se afogaria neles?

Se eu te desse o meu fogo, você se queimaria ou arderia comigo?

Se eu te desse o meu gelo, você me aqueceria ou me quebraria?

Você colheria a flor que habita meu coração?



Escrito por Kyra às 20h26
[ ] [ envie esta mensagem ]


Artur Azevedo é

Por decoro

Quando me esperas, palpitando amores,
e os lábios grossos e úmidos me estendes,
e do teu corpo cálido desprendes
desconhecido olor de estranhas flores;

quando, toda suspiros e fervores,
nesta prisão de músculos te prendes,
e aos meus beijos de sátiro te rendes,
furtando às rosas as purpúreas cores;

os olhos teus, inexpressivamente,
entrefechados, lânguidos, tranqüilos,
olham, meu doce amor, de tal maneira,

que, se olhassem assim, publicamente,
deveria, perdoa-me, cobri-los
uma discreta folha de parreira.



Escrito por Kyra às 23h27
[ ] [ envie esta mensagem ]


Me deixas louca........

Sabes como beijar....

Me cativas mas destrói o momento.....

Folgas meu coração......

Derrubas as intenções, se elas existem...

Faz de mim um instrumento do teu prazer....

Não deixes mais pra depois.....

Dance comigo, vamos até ao amanhecer....

Prometo loucuras.........

Me beija....me deseja e me sinta.........

 



Escrito por Kyra às 00h00
[ ] [ envie esta mensagem ]


"Poupe-me da amargura, o derradeiro ácido cítrico pervertido a correr nas veias das mulheres solteiras, inteligentes e sozinhas".

Sylvia Plath

 

Achei esta frase perfeita.

Este é o meu maior medo ultimamente, apesar do caos em minha vida, é o único medo que me faz ficar gelada.

Tenho medo da amargura e luto com isso todos os dias.

Acho que estou ficando velha...rs

Final de semana passado, uma amiga me disse que o meu problema para estar sozinha há tanto tempo era o seguinte "Vc é muito inteligente e isso assusta os homens", eles percebem que não dá para contar qualquer estória, vc não vai cair. Não foi a primeira pessoa que me falou isso.

Outras pessoas me disseram, "Vc parece ter tudo" por isso as pessoas não chegam perto. Um diretor da empresa que trabalho me disse que eu tinha que disfarçar a minha inteligência ou nunca ia casar..rs

Confesso que não me acho tão inteligente assim, não sou nem uma beldade, vivo dura... ou seja não me acho tão espetacular assim...rs

Eu me considero interessada pelas coisas e pessoas, tenho uma certa facilidade para captar sentimentos e conhecer as pessoas, acho que isso assusta.

Outro problema é que ultimamente as minhas relações são basicamente com pessoas do trabalho e trabalhando sou muito segura e até mandona.

Só que na minha vida pessoal não sou assim, mas as pessoas não conseguem ver este lado, isto me torna meio solitária.

Com relação aos homens, sinto falta da sedução. Alguns até se aproximaram de mim, mas é sempre a mesma coisa, tenho a impressão de que posso ser eu ou qualquer outra. Fico entediada, confesso. Sou muito transparente em mostrar minhas emoções.

Quero sofrer a troca de olhares, a troca de palavras instigantes, quero ver o desejo nos olhos dele. Quero sentir que ele faz um esforço para me seduzir nem que seja por uma noite. Tem que valer a pena.

Não estou falando de compromisso, falo de sentir emoções e se deixar levar nem que seja por alguns momentos.

Acredito que os homens devam estar sofrendo também, parece não haver tempo para conhecer ninguém. É só sair e beijar quem estiver mais disponível, nem se pergunta o nome. Para os homens que por essência são caçadores isso deve ser muito frustrante.

No fim da noite vc diz fiquei com 3 ou 4 meninas e não sabe o nome de nenhuma delas, não houve troca de idéias, não sabe se tem afinidade ou não. Parece não haver tempo para isso.

Estamos todos assustados, pelo menos é o que eu acredito. Acabo ficando sozinha porque não consigo simplesmente agir assim.

Quero sentir de novo aquela sensação boa da atração, quero o esforço de uma mentira bem contada, para que mesmo eu sabendo ser mentira, possa dar aquele sorriso de acredito em vc e curtir bons momentos.

Não sei se todo mundo se sente como eu, mas gostaria de saber que sim e começaremos a ter atitudes mais leves e menos imediatistas.

O sabor da conquista deve ser lento e se no fim das contas nada der certo, de repente vc teve tempo para conhecer uma pessoa que pode se tornar um grande amigo ou amiga nos caso dos homens.

 



Escrito por Kyra às 14h58
[ ] [ envie esta mensagem ]


SEM FANTASIA

CHICO BUARQUE

Vem , meu menino vadio

Vem, sem mentir pra você

Vem, mas vem sem fantasia

Que da noite pro dia

Você não vai crescer

Vem, por favor não evites

Meu amor, meus convites

Minha dor, meus apelos

Vou te envolver nos cabelos

Vem perder-te em meus braços

Pelo amor de Deus

Vem que eu te quero fraco

Vem que eu te quero tolo

Vem que eu te quero todo meu

Ah eu quero te dizer

Que o instante de te ver

Custou tanto penar

Não vou me arrepender

Só vim te convencer

Que eu vim pra não morrer

De tanto te esperar

Eu quero te contar

Das chuvas que apanhei

Das noites que varei

No escuro a te buscar

Eu quero te mostrar

As marcas que ganhei

Nas lutas contra o rei

Nas discussões com Deus

E agora que cheguei

Eu quero a recompensa

Eu quero a prenda imensa

Dos Carinhos Teus...



Escrito por Kyra às 22h51
[ ] [ envie esta mensagem ]


Procuro uma paixão...


Que me insane ao tudo
Que me transmute os eternos
Que desfaça meu travo mudo
Que faça céu os meus infernos

Procuro uma paixão...
Que faça em pele o que é pensamento
Que jorre em lábios o que é só querer
Que cante em corpos o que é momento
Que exaura em gozo o que é viver

Procuro uma paixão...
Que acenda os sons que vibram em mim
Que irrompa meus silêncios amordaçados
Que me queime em brasas num sem fim
Que me extinga em rubros beijos alados

Procuro uma paixão...
Que me consuma em só amor
Que dure dias encurralados
Que me colha em linda flor
Que me plante em vôos suados

Procuro uma paixão...
Que de fera me tenha mansa mulher
Que de forte me faça ave sem ninho
Que de vontades me torne como quiser
Que de perdida me seja caminho

Procuro uma paixão...


Lizete Abrahão



Escrito por Kyra às 00h18
[ ] [ envie esta mensagem ]


Bem me quis, mal me quis.

Bem me quis, quando olhava nos meus olhos e acariciava meu
rosto me dizendo que era linda.
Mal me quis, quando me fez promessas das quais não poderia
cumprir.

Bem me quis, quando me abraçava forte e me fazia sentir
segura sobre qualquer mal que pudesse surgir.
Mal me quis, quando fazia essa segurança se esvair eu não
sabia se devia te esperar ainda.

Bem me quis, quando me amava e me tocava de forma tão
intensa, fazendo crescer um sentimento profundo.
Mal me quis, quando após as noites tão lindas eu era obrigada a
fingir que não importava e suportava sua suposta indiferença.

Bem me quis, quando me fazia sentir a mulher mais
especial do mundo.
Mal me quis, quando sua suposta indiferença tornou-se real e
eu ficava sem saber o que pensar.

Bem me quis, todas as vezes que fez meus olhos brilharem e
meus lábios sorrirem.
Mal me quis, quando fostes responsável pelas lágrimas que
brotaram do meu coração e escorreram pelos meus olhos.

Bem me quis, na maior parte do tempo, admito.
Mal me quis, por que não me queria de verdade.

Bem te quero, e essa é a realidade.
Mas não te quero, por que espero um amor mais bonito!



Escrito por Kyra às 23h13
[ ] [ envie esta mensagem ]


Existem duas dores de amor: A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também...

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém. É que, sem se darem conta, não querem se desprender. Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida... Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a 'dor-de-cotovelo' propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: "Eu amo, logo existo".

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente... E só então a gente poderá amar, de novo.

(Martha Medeiros)


Sumi por um tempo, mas agora voltei!!!

Prometo visitar todo mundo e me atualizar, estava com saudades daqui.

 

 



Escrito por Kyra às 02h09
[ ] [ envie esta mensagem ]


Quem vai dizer tchau?

Nando Reis

Quando aconteceu?

  • Não sei

Quando foi que eu deixei de te amar?

Quando a luz do poste não acendeu?

Quando a sorte não mais pôde ganhar?

Não

De longe me disse um não

Mas quem vai dizer tchau?

Onde aconteceu?

- Não sei

Onde foi que eu deixei de te amar?

Dentro do quarto só estava eu, Dormindo antes de você chegar

Mas, não

Não foi ontem que eu disse não

E quem vai dizer tchau?

A gente não percebe o amor

que se perde aos poucos sem virar carinho

guardar lá dentro o amor não impede

que ele empedre mesmo crendo-se infinito

Tornar o amor real é expulsá-lo de você

para que ele possa ser de alguém

Somos, se pudermos ser ainda

Somos donos do que hoje não há mais

Ouve o que houve

E o que escondem em vão

Os pensamentos que preferem calar

Se não

Irá nos ferir o não, Mas que não quer dizer tchau.


Estou muito cansada hoje, mas é um cansaço bom.

Perceber as minhas mudanças, ver que as pessoas estão percebendo estas mudanças.

A excitação e o medo pelo novo, que não é tão novo assim, é apenas um reencontro comigo mesma.

Todos a minha volta acham que estou apaixonada por alguém e quando digo estou apaixonada por mim, recebo sorrisos meio brincalhões...rs

Acham que estou namorando alguém e não quero falar, deve ser difícil para elas entenderem este processo pelo qual estou passando. Aí eu também devolvo o sorriso brincalhão e digo " O amor é lindo" rs

Estou expulsando o amor de mim, para que ele possa ser real. Descobri que é um círculo, quanto mais amor expulso de mim, mais amor eu recebo. 

Estou dizendo adeus para o passado, vivendo o presente e sonhando com o futuro.



Escrito por Kyra às 01h08
[ ] [ envie esta mensagem ]


 Continuação...

2004 - Destino?

Cristina e Marta são amigas há mais de 15 anos, trabalham juntas, cúmplices novamente. A diferença é que Cristina não se deixa mais dominar por Marta, isso gera atritos e Marta não aceita muito bem este fato.

Cristina encontrou Marcelo, se apaixonaram de novo. Apesar de Marcelo não conseguir confiar em Cristina reluta em se afastar dela. Mas não consegue se abrir e isso reaviva as lembranças de que Cristina não pode acreditar em tudo que ele diz.

Cristina apresentou Marta para Marcelo, novamente a história se repete. Seduzidos um pelo outro, a diferença é que agora agem como bandidos, se escondem e negam o que acontece. Em alguns momentos sinto pesar pela má qualidade de vida que estão levando. Cada vez mais afundando nas histórias que inventam e acabam afastando as pessoas que realmente poderiam gostar deles.

Ela tentou falar com os dois, dizer ela poderia entender que isso pode acontecer com qualquer pessoa, só queria que admitissem e que cada um deveria seguir com sua vida. Todos eles tinham o direito de ser felizes.

A resposta de Marta foi que ela estava louca, Marcelo disse que apenas foi seduzido mas que amava Cristina e que nunca queria ficar longe dela.

Cristina quase sucumbiu ao desespero novamente, mas resolveu lutar e está consciente de que não pode deixar de viver.

A grande lição para Cristina é que ela não vai deixar de confiar nas pessoas ou se isolar por causa destes acontecimentos. Nem todos agem assim. Está cada dia melhor, as vezes a força da mágoa a atinge, mas ela reage a estes pensamentos. Está se libertando.

Tentou ajudar Marcelo, mas ele ainda não está pronto para a verdade e nem para perdoar. Ela teve que deixá-lo novamente.

Marta está passando por um período de incertezas, entre a raiva e o amor que sente por Cristina. As vezes quer protegê-la, outras vezes faz coisas apenas para magoá-la.

O destino teceu seus fios novamente.

O que vai acontecer com eles? Ninguém pode saber, o livre arbítrio é que decidirá se conseguirão ser pessoas plenas ou se permitirão ficar no meio do caminho novamente.

Eu torço para que consigam, ainda haverá muita luta, mas tenho fé que desta vez o perdão tão necessário por tantos enganos, finalmente venha e que eles possam ser felizes.

 



Escrito por Kyra às 12h33
[ ] [ envie esta mensagem ]


2001

Ela estava dormindo, dava para perceber em seu rosto os sinais de profundo cansaço e sofrimento.

De repente ela acorda gritando, apenas um grito, mas a dor contida naquele grito assustaria qualquer pessoa.

Ela senta-se na cama e quando dá por si está chorando muito, os soluços não deixam ela respirar, olha para o relógio e vê que são 5 horas da manhã.

Não consegue tirar o pesadelo da cabeça, porque foi tão real que ela ainda sente como se ainda estivesse nele.

Sonho ou lembranças

Começou como um sonho, pelas roupas que ela usava dava a impressão de ser como um filme antigo, saias longas, dava para perceber que ela era uma pessoa humilde. Estava casa com um homem, Ele era alto, magro, loiro de olhos azuis. Eles estão se beijando, dá para perceber que eles se amam, ela ainda pode sentir todas as emoções que estar com esse homem lhe provocam, se sente amada. Frágil e protegida por ele.

Ele lhe diz que quer que fiquem juntos porque ele a ama, ela aceita mas sabe que terá problemas com a amiga. Mas vale a pena ficar com ele. Diz que irá conversar com a amiga e que voltará no dia seguinte para ficarem definitivamente juntos.

Elas não eram daquela cidade, estavam de passagem, na verdade eram duas golpistas, davam pequenos golpes em vários homens, elas eram sozinhas no mundo, não tinham família e naquela época era muito difícil para uma mulher sozinha ficar longe do mau caminho.

Eram duas mulheres muito bonitas, mas muito diferentes entre si, Cristina tinha longos cabelos castanhos, olhos grandes e apesar da vida que levava mantinha um ar inocente e sempre acreditava nas pessoas. Marta era de aparência exótica, tinha longos cabelos com reflexos avermelhados, olhos verdes e um ar malicioso, era sempre ela quem arquitetava os golpes.

Marta queria que roubassem Marcelo, ele era um homem muito rico, ela queria as jóias que ele tinha em casa, ficaria furiosa com Cristina que ela dissesse que não iria ajuda-la naquele golpe, como ficaria com ele porque estava apaixonada.

Foi uma cena difícil, Marta não aceitava de jeito nenhum que Cristina queria ficar com ele, dizia que nenhum homem prestava e que ele não podia realmente gostar de alguém tão simplória quanto ela, uma mulher com um passado.

Mas Cristina estava irredutível e disse ficaria com ele e que tudo daria certo porque eles se amavam, depois de muita discussão Marta pareceu aceitar a idéia e até desejou boa sorte a amiga dizendo que sentiria sua falta porque elas se complementavam.

Cristina disse que no dia seguinte de manhã iria para a casa dele para ficarem juntos e Marta disse que iria embora da cidade logo cedo.

Cristina ficou feliz porque a amiga tinha entendido seus sentimentos e foi dormir muito feliz com a perspectiva de um futuro melhor e até pensou em falar com Marcelo para que ajudasse a sua amiga a mudar de vida.

Cristina acordou cedo para se despedir de sua amiga e para começar sua nova vida, não encontrou nem sinal de sua amiga, percebeu que as coisas dela tinham desaparecido. Achou que a amiga quis partir para evitar cenas de despedida.

Estava hospedada na casa em frente ao casarão que Marcelo morava, era só atravessar a rua e já estaria na casa dele.

Ao atravessar a rua estranhou o fato de que a carruagem de sua amiga estivesse em frente a casa de Marcelo. A porta da casa encontrava-se aberta e Cristina entrou chamando por Marcelo. De repente começou a ouvir uns barulhos estranhos e entrou em uma sala e parou estática na porta, Marcelo e Marta estavam nus e abraçados.

Cristina não conseguia ter nenhuma reação, parecia uma estatua parada na porta, só os olhos expressavam a dor que estava sentindo com aquela cena, viu o desespero de Marcelo e o sorriso malicioso de Marta.

Marta com a maior calma veste suas roupas, nem olha para Marcelo. Encaminha-se para a porta e simplesmente pega Cristina pelo braço e desce as escadas rumo a rua.

Faz Cristina subir na carruagem, esta em choque não consegue ter nenhuma reação. A única reação é virar a cabeça e olhar para a porta da casa de Marcelo, e lá está ele, apenas olhando-as partir. Cristina vê a dor nos olhos dele e isso a tira do entorpecimento em que se encontra, lágrimas caem de seus olhos e a carruagem começa a andar.

Elas seguem para outra cidade e Marta começa a falar, eu disse que nenhum homem prestava, se ele te amasse mesmo não teria cedido as minhas investidas, mas não se preocupe, eu me vinguei, roubei as jóias dele e começa a rir.

Cristina não fala nada, apenas olha para Marta, agora com novos olhos, percebe toda a frieza e egoísmo, daquela que considera ser uma amiga. Esta ainda lhe diz não precisa me olhar assim, isso logo passa.

 

 

O resultado

Ao chegarem na cidade, Cristina não consegue perdoar Marta e simplesmente a deixa sozinha. Nenhum dos três conseguiu ser feliz.

Cristina não podia esquecer a traição de Marta e a fraqueza de caráter de Marcelo. Levou uma vida simples e solitária. Não permitindo que ninguém se aproximasse dela, perdeu a confiança nas pessoas. Cristina realmente amava Marcelo e nunca o esqueceu.

Marta não perdoou Cristina pelo abandono, elas tinham que ficar juntas, eram parceiras. Morreu na miséria, culpando Cristina pela sua situação.

Marcelo também considerou-se traído, afinal acreditou a vida inteira que tudo não passava de um plano para roubá-lo e que Cristina nunca o tinha amado. Mas era fraco, preferiu ignorar o que tinha feito. Nunca se casou, morreu só e amargurado.

continua...



Escrito por Kyra às 14h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

 
Meu perfil


BRASIL, Sudeste, Mulher, de 36 a 45 anos



Meu humor



Histórico
01/08/2007 a 31/08/2007
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004




Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Correndo atrás do vento...
 Loba, corpus et anima
 Retalhos e Pensamentos II
 Mulher de 30 e poucos...
 Mina do Kurt
 Depois dos vinte...
 Notas de um velho safado
 Pretensos Colóquios, por Dora Vilela
 Nanda
 Cantinho da Felicidade
 Antropofago Urbano
 TONY MACLAUD - O BOM CEARENSE
 Colcha de Retalhos
 Digressiva Maria
 Coisas de tio
 Botequim Poético
 Domínio Público
 Noites em Claro
 Fala Poética
 Sombras e Sonhos
 As Cartas de Elise
 Retalhos e Pensamentos
 Mudança de Ventos
 Verso Encadeado
 Segredos nada Secretos
 Big Friend
 Poesia & Cia
 TrumanBlog - Eterna Sinfonia da Vida Inacabada...
 Escondidas na Net
 Há vida depois dos 40
 A Idade da Loba
 O meu caminhar
 Procuro-me
 Ponto Gê
 Voz Activa
 Viagens da Alma
 Letras Diversas
 Figuras Hilárias
 Mar da Poesia
 No Olho do Furacão
 PsycoBlog
 Nonato Reis
 Essência Feminina
 Meu Porto
 Duas Palavras
 A Plataforma desta Estação ...
 Circulo Vicioso
 Cherry
 Espelho da Alma
 Lendo e Sonhando
 Molecca - Amor do Pietro
 Nano Costa
 Pra você que gosta de poesia
 Observações